Mesmo nos meus piores dias, eu nunca desejei estar em uma profissão diferente.

Lindas Garotas de Programa BH

Eu amo meu trabalho, mas não é para qualquer um

Quando dizem que já bateram uma punheta em minha homenagem, eu amo.

Categorias:  

Eu acho que muitas pessoas se referem ao pornô como se ele fosse uma grande coisa única, mas não é. Pornô é uma indústria que compreende muitas empresas diferentes – pequenas médias ou grandes e tudo que esteja no meio disso.

Cada empresa age de forma diferente no mercado assim como cada atriz pornô tem uma carreira conduzida de maneira diferente.

Tem muitas mulheres na indústria pornô que atuam na produção do filme, mas que não faz sexo na câmera, como por exemplo, editoras, agentes e diretoras. E também tem muitas mulheres que trabalham nos escritórios dentro dessas empresas.

Joanna Angel, atriz pornô

A indústria adulta não é para qualquer um. Trabalhar em qualquer ramo do entretenimento é difícil e penso que não é um lugar para as pessoas fracas. Eu já vi e li muitos comentários maldosos em resposta a fotos ou artigos em que eu estivesse.

Eu já faço filmes pornô a mais de 10 anos e tenho muitos fãs, mas por causa da minha aparência eu faço um quarto da grana que uma loira bronzeada e com peitos siliconados faz, mesmo que ela tenha apenas um quarto dos meus fãs.

Isso é como a indústria funciona e isso requer muita força para lutar contra sua própria inveja nessas situações. Levou um pouco de tempo, mas eu aprendi a ser mais forte, respirar fundo e ser grata pelo que eu tenho.

Atriz pornô Joanna Angel

Eu penso que muitas garotas morrem para o pornô porque essa inveja se transforma em raiva o que leva uma pessoa a um caminho altamente destrutivo. No pornô é mais que comum que mulheres descriminem outras mulheres do que homens descriminem as mulheres.

Eu nunca trabalhei para uma empresa que não fosse a minha, a Burning Angels, então talvez eu não seja a pessoa mais indicada a falar sobre isso, mas geralmente, eu não penso que as mulheres sejam maltratadas na indústria.

Eu penso que é muito comum (não apenas no pornô, mas em muitas situações) concordar com coisas que na realidade, você não queira fazer. Muitos anos atrás eu estava saindo com um completo idiota que propôs a ideia de um relacionamento aberto.

Joanna Angel

Eu me considero muito mente aberta, então eu pensei que poderia funcionar bem. Então ele disse “Eu vou transar com qualquer uma em qualquer hora que eu queira, mas eu quero que você só transe comigo, ok”.

Na minha cabeça eu estava gritando “Que merda é essa, claro que não”. Mas por alguma razão eu disse “Ok, tudo bem, eu entendo”.

O que seguiu despois dessa conversa foram os anos mais miseráveis da minha vida. E sim eu percebi que eu tinha que me sentir responsável por ter aceitado uma coisa que eu não queria.

Mulheres contam como foi fazer sexo com homens de pinto pequeno!

Atriz pornô

Mas isso vem com uma pergunta, porque as mulheres aceitam se sujeitar a isso? E para te dizer a verdade, eu não tenho certeza.

E por mais que isso seja um problema completamente diferente, eu penso que a maioria das histórias assustadoras que você ouve sobre a indústria pornô e o tratamento que as mulheres recebem, é porque mulheres dizem sim para as coisas que elas deviam se recusar a fazer.

Quando você foi selecionada para uma cena, você tem a chance de aceitar ou não o papel. Ninguém põe uma arma na sua cabeça e te força a fazer uma cena.

Mulheres que transaram com homens mais velhos falam sobre o sexo.

Joanna Angel, atriz de filme pornô

Por exemplo, várias garotas vão dizer que querem fazer uma cena de anal porque querem um dinheiro extra ou porque isso fará com que certo diretor goste delas. Mas se você não gosta de fazer sexo anal, você não deveria fazê-lo na sua profissão.

Se dói quando você coloca um consolo no seu cu, você não deveria concordar em fazer uma cena de orgia anal com 10 homens.

E isso acontece muito. O resultado disso é que a garota terá uma carreira miserável e anos depois vai ficar reclamando sobre sua vida na imprensa.

Histórias sobre sexo anal.

filme pornô

Na indústria, tem diretores que só gravam cenas de BDSM e sexo selvagem e diretores que só filmam para séries românticas. É importante para as mulheres, pesquisarem para quem elas estão gravando e ter certeza que o filme no qual ela vai aparecer está de acordo com que ela consegue fazer tanto mentalmente quanto fisicamente.

Infelizmente quanto mais uma mulher rejeita gravar uma cena, mais restrito será o mercado dela o que pode significar menos dinheiro no bolso. Mas novamente, você não pode colocar um preço na sua saúde tanto física quanto mental.

Se uma garota me diz que quer fazer anal, mas ela transparece estar desconfortável quando a cena começa, eu vou dizer a ela para parar e que nos não precisamos fazer anal naquela cena, e que ela pode tentar de novo outro dia.

Durante momentos assim, eu tive garotas que disseram “Não, eu posso fazer, eu preciso muito desse dinheiro extra”, mas mesmo assim eu vou mandar o ator tirar o pau da bunda dela. Eu não vou permitir que isso aconteça.

Joanna Angel, atriz de filmes pornográficos

Eu não quero que eu seja a razão de alguma atriz pornô ter transtorno de estresse pós-traumático ou outro transtorno psicológico. Mas acham que todos os diretores pensam da mesma forma? Provavelmente não.

Na verdade, eu estaria mentindo se eu dissesse que todos os diretores de filmes pornôs acabariam com a cena ali mesmo, caso a atriz demonstrasse estar com dor. Mas, com certeza alguns fazem isso.

Muitos diretores, eu inclusa, prefeririam não ter anal na cena a ter uma cena estranha e que seja dolorosa de se ver, tanto por questões de negócio quanto morais.

Resumindo pornô não é para qualquer um. Eu já vi varias pessoas serem engolidas para a indústria e serem descartadas. E também já vi varias garotas terem muito sucesso.

Joanna Angel tatuada

Para mim, o pornô me tornou uma mulher mais confiante e feliz. Antes de fazer filmes, eu era insegura não me conhecia sexualmente e isso também acontecia fora da cama.

Fazer experimentos com minha sexualidade em um ambiente controlado me ajudou muito. Eu aprendi como fazer um bom boquete nas filmagens, como fazer sexo anal, como dar um orgasmo a uma mulher e fiquei mais confortável com falar palavrões enquanto fazia sexo.

Eu aprendi como dirigir filmes e como conduzir o negócio. Eu nunca imaginei que esse tipo de negocio me faria tão feliz.

Quando alguém me vê em uma convenção ou me reconhece nas ruas, e dizem que já bateram uma punheta em minha homenagem, eu amo. Eu fico muito excitada e isso me faz querer fazer mais.

filme pornô no Joanna Angel

Trabalhando na indústria eu aprendi mais sobre mim mesma e cresci muito – de uma garota estranha e muito emotiva para uma astuta e promiscua mulher de negócios.

Pornô tem sido extremamente saudável para mim e meu bem-estar. Parece loucura, mas é verdade. Até mesmo minha mãe que é judia ortodoxa e que definitivamente não é uma fã do que eu faço, admitiu que nunca me viu tão feliz.

Tenho 32 anos e isso é o que eu quero ser quando crescer. Toda minha experiência na indústria não foi um mar de rosas. Tiveram altos e baixos (literalmente e emocionalmente), mas mesmo nos meus piores dias, eu nunca desejei estar em uma profissão diferente.

Eu amo mesmo o meu trabalho.

Por Joanna Angel  – Modelo, atriz e diretora de filmes pornográficos alternativos.

Joanna Angel atuando em filme pornô

Um relato franco sobre a realidade das acompanhantes.

GAROTA BH, GAROTA LINDA

As acompanhantes mais lindas de Belo Horizonte estão aqui, você só precisa ligar e marcar um programa!

Andressa Arttiolly (31) 99370-6585

Rayane Baruc (31) 97345-6296

Luara Dayrell (31) 99150-1880